Descrição: Blog criado para o planejamento da minha viagem para à França. Ele será dividido em quatro partes:

1) PESQUISAS: pesquisas sobre as cidades a serem visitadas - cultura, atrações turísticas, gastronomia, hospedagem...;

2) ROTEIRO FINAL: Roteiro detalhado dia-a-dia, com hospedagem, alimentação, atrações, previsão de gastos, ...;

3) PREPARATIVOS para a viagem;

4) RELATO DA VIAGEM: Relato dia-a-dia de todos os acontecimentos durante a viagem, dicas, informações, etc.

FASE ATUAL DO BLOG: 3) PREPARATIVOS.

quarta-feira, 7 de março de 2012

Relato de viagem - Ana Luiza Barbosa Curi

Bonjour, meus amigos...

Eu adoro relatos de viagem... Quando planejava a minha para a Itália, eu li dezenas e consegui diversas dicas preciosas... Então, toda a vez que sou presenteado com um, fico muito feliz... Dessa vez o relato é da nossa amiga de viagem Ana Luiza Barbosa Curi... Adorei, Ana! Ficou ótimo... e as fotos também... Como eu sempre digo: aqui não é o Facebook, mas as pessoas compartilham...

Olá Marcio

Depois de muito relutar em ir para Paris sem estar acompanhada pelo "grande amor da minha vida" resolvi aproveitar em abril do ano passado (2012) que um casal de amigos meu estaria morando lá por um ano e ir. Paris ficou recheando a viagem que começava em Amsterdam (cidade paixão da minha vida!) e terminava em Barcelona. No final das contas, meus amigos nem puderam me hospedar (as regras de aluguel de apartamento são bem diferentes das daqui) mas como eu tinha realmente me empenhado em economizar nem fez diferença e consegui reservar em cima da hora um albergue muito bom por indicação do Guia de Viagens da Publifolha. Hospedagem: MIJE (sim, não é piada mas sim uma sigla). Eles tem três albergues em prédios históricos muito bem localizados no Marais. Vale muito pela localização. Reservas pelo site: http://www.mije.com/paris_individuels_uk.html . Também fiquei por uma noite no hostel Le Regent Montmartre (reserva pelo site Hostel Bookers). Muito bom, mas não tão central.

Roteiro dia a dia:

Dia 1 - cheguei de Amsterdam no aeroporto Charles De Gaule e peguei o RER C (trem) que me deixaria na Estação de Metrô Chatelet -Les Hales, onde peguei o metrô para a casa dos meus amigos. Comprei o ticket na maquininha do aeroporto. Tudo muito simples, na base do "siga as indicações das placas" e as orientações da tela da máquina. Almocei e com meus amigos e saímos em direção à Montmartre, para fazer o check in no primeiro hostel. De lá explorei a Sacre Coeur, subindo pelas ruas laterais e não pela escadaria, entrei na Igreja onde estava acontecendo uma cerimônia com freiras cantando. Seria lindo se não fosse a quantidade absurda de turistas entrando e saindo! De lá, ainda acompanhada por amigos, fomos andando até o famoso Moulin Rouge. Depois, segui meu caminho por Pigale até voltar à Sacre Couer e subir a escadaria para esperar o por-do-sol. O relato desse primeiro dia está frio assim porque simplesmente DETESTEI Paris à primeira vista. Estranhei muito a lingua e tive um contratempo em Pigale: enquanto fotografava, um cara - provável traficante - achou que estava saindo na foto e começou a gritar comigo para depois me atirar um pedra. Não machucou mas teve o efeito moral de uma bomba! Quero deixar bem claro que achei a cidade espetacular mesmo neste dia. O tempo estava maravilhoso e Paris é lindíssima, nessa região inclusive. Mas não rolou pra mim. Não gostei da vibe do lugar. Também levei uma bolada enquanto estava na escadaria vendo o por-do-sol que detonou meu celular e me deixou com a nítida impressão de não ter sido acidental... Enfim, Montmartre não é meu bairro favorito, muita malandragem. Mesmo assim, acho que com alguns cuidados vale a visita pois é MUITO bonito! Voltei pro albergue arrasada, mas encontrei brasileiras no mesmo quarto que iriam para a Euro Disney no dia seguinte e me convidaram para ir junto.

Dia 2 - Acordamos cedo e fomos pra Euro Disney. As meninas já tinham visto tudo direitinho como chegar. Andamos até a Gare du Nord (mega estação, em um belo prédio com gente de tudo que é tipo circulando o tempo todo!) e pegamos o RER até lá. Tickets comprados a hora também. Deixa em frente ao parque. O dia estava absurdamente lindo e nos divertimos como criança. Compramos um passe para os dois parques com duração de um dia (69 euros, se não me engano). Voltamos no final do dia, as meninas foram para Roma e eu mudei de hostel. Fui para o MIJE, fiz check in e sai pela beira do Sena para procurar um restaurante para jantar. Escolhi um chinês (ok, original, pois conseguia entender o menu cheio de fotos). Jantei muito bem e tomei uma flutê de champanhe olhando pro Sena por 18 euros. Voltei feliz pro albergue.

Dia 3 - Meu terceiro dia em Paris teria programação certa: tinha me matriculado em uma aula de culinária com visitação guiada a um dos famosos mercados de Paris no Le Cordon Bleu. Teria sido fantástico se o ônibus que eu pegaria e me deixaria na porta não tivesse fora de circulação. Ainda tentei ir de metrô, mas optei pela saída errada e não consegui encontrar o lugar de jeito nenhum, mesmo perguntando. Na minha cabeça o Le Cordon Bleu seria tão fácil de encontrar quanto a Torre Eiffel. Mas não é! E pelo visto nem é tão famoso assim por lá. Claro que um táxi teria resolvido meu problema, mas isso nem me ocorreu e também nem vi nenhum circulando tão cedo (Paris demora para acordar). Só me dei conta que o trabalho de procurar estava perdido quando me vi atrás da torre Eiffel, ali pertinho no Les Invalides. Como tinha pouco espaço na memória da máquina, dei uma volta por ali e fui para a casa dos meus amigos pedir colo e elevar a moral novamente (a aula já estava paga!!). Depois do almoço revigorante, fomos todos para o Jardim de Tulherias. Um dos lugares que mais amei em Paris. Lindo demais! Exploramos a região e fui deixada no Louvre. Como era uma sexta, dia em que o museu fica aberto até tarde (mais ou menos 22h), só sai de lá de noite.

Dia 4 - Talvez tenha sido o efeito do Louvre, mas acordei com La Vie en Rose na cabeça. Andei pelo Marais até chegar na MARAVILHOSA Place des Voges onde sentei, entrei na internet pelo Wifi da Prefeitura de Paris (nem lembro mais como, acho que a gente entra em algum site e se cadastra. Eles mandam uma senha. Dá pra fazer isso em vários lugares de Paris.) e fiquei esperando meus amigos chegarem. O clima nessa região é fantástico! Tinha músicos, grupos de ciclistas, as galerias ao redor da praça são tentadoras e tem músicos de rua tocando ao redor. Andamos mais um pouco pelo Marais, passamos pelo Centre Pompidou (museu de arte contemporânea), pelo fórum de Les Hales e fomos fazer um piquenique já no horário de almoço na Pont des Arts (aquela com os cadeados). Transbordei de felicidade! De lá andamos mais um pouco pelo Louvre, tiramos fotos com a pirâmide e passeamos pelo Jardim de Tulherias. Na Prace de La Concorde pegamos o metrô até a Torre Eiffel. Subi na torre, junto com o Carlos que veio se juntar ao nosso grupo direto de Portugal, mais ou menos no final da tarde e tive a chance de ver a cidade e a própria Torre se acenderem conforme o sol se põem. Inesquecível!

Dia 5 - Marcamos encontro no Jardim de Tulherias, pois cada um teria um programa diferente para iniciar do dia. Carlos foi ao Louvre, meus amigos "residentes" curtir a Maratona de Paris e eu fui ao Museu D'Orsay. No D'Orsay vi pela primeira vez uma das grandes vantagens de usar o Paris Museum Pass (comprado no Louvre no dia anterior e válido por 6 dias): a fila estava gigante, mas pude escapar dela por ter o passe! Outro museu essencial em Paris. Queria sair de lá de olhos fechados depois de ver tanta beleza (principalmente Impressionistas) coroada pelas mais lindas telas de Van Gogh! Curti um pouco a maratona e ainda sentei em volta do lago das Tulherias para ler um pouco (o livro? PAris é uma festa, de Hemingway). hehe. Fomos "almoçar" - mais um piquenique - no Parque Buttes Chaumont. Lindo domingo, lindo parque! Saímos do parque mais descansados e fomos andando às margens do Canal St Martin (aquele do filme da Amelie Poulin). Pegamos o metrô até a Ilha de La Cité, andamos por lá, entramos na Notre Dame e eu subi a torre (também com o Passe) enquanto o restante do grupo passeava pela Ilha de St Louis. Aconselho a enfrentar a escadaria para visitar a "casa do Corcunda" lá em cima: a vista é muito legal! Para completar o dia, ainda voltamos para a região da Torre Eiffel, tiramos fotos no Trocadero e fizemos o passeio de barco pelo Sena (13 euros). Depois do passeio de barco eu ainda subi no Arco do Triunfo, de onde vi a Torre Eiffel se acendendo e deixando uma multidão de turistas de queixo caído! Nunca vi tanto flash disparando ao mesmo tempo na minha vida. Também é imperdível! Jantamos ali no Champs Elisees... e voltamos mortos e felizes!

Dia 6 - Já tinha pesquisado e resolvi ir até Giverny para visitar os jardins e casa de Monet. Fui até a Gare de St Lazare e como teria que esperar um pouco pelo trem aproveitei para explorar as redondezas. Andei pela Galeries Lafayette e pela Printemps. Comi a melhor trufa da minha vida no Cafe Poushikine. O trem para Vernon (de lá parte um ônibus para Giverny) é bem confortável. O que dizer dos passeio em si? Lindo! Todo o lugar transmite uma paz imensa e vocês se sente transportado para dentro das pinturas. Ah! Amei a cozinha de Monet! Voltei para Paris e ainda fui ao Centro Pompidou, dessa vez para apreciar as obras. Tem uma vista ótima de Paris do último andar. Voltei andando pelo Marais e dormi cedo.

Dia 7 - Esse foi o dia de Versalhes (que fecha nas segundas, assim como alguns museus). Muito fácil ir independente, aproveitei que precisava pegar minha passagem de trem para Barcelona e peguei o RER na Gare de Austerlitz. Também usei o passe para entrar. Filas quilométricas! O palácio é absurdo e imperdível! Os jardins, mais absurdos e imperdíveis ainda. É bom reservar um dia inteiro. Eu voltei relativamente cedo para Paris, pois estava com muita dor no ombro e frio (não peguei chuva em Paris, mas esse dia estava nublado e em Versalhes fazia muitooooo frio!). Almocei crepe perto da Notre Dame e, restabelecida, ainda visitei a ST Chapele e a Conciergerie. Jantei na Ilha de St Louis. Minha dica? Sopa de cebola!! É muito boa! Também fui dormir meio cedo.

Dia 8 - Fui ao Museu Rodin (MARAVILHOSO!!), ao Les Invalides, visitei a tumba de Napoleão e andei mais um pouco por essa bela região. De lá fui para o museu L'Orangerie pois queria ver as Ninféias de Monet. Recomendo principalmente antes ou depois de Giverny. Depois foi a vez de explorar a região do Quartier Latin e de St German. Pena que o Pantheon estava fechado para reformas justo naquele dia. Teve que ficar pra próxima. Ainda acabei meu dia com mais uma voltinha no Louvre.

Dia 9 - O último. Aproveitei para visitar a Ópera Garnier. Vale a pena! É deslumbrante! Ainda dei uma volta pela região da Place Vendome e vi um pouco mais do LUXO de Paris. no final do dia, peguei meu trem noturno para Barcelona certa de que havia sido conquistada por Paris.

Abraços






2 comentários:

ana lu curi disse...

Nossa! JÁ publicou! hehe
Adorei escrever e reviver cada momento de novo. Muito bom!
viu que tem uma edição especial nas bancas sobre a França? Um Especial da revista Viaje Mais.
bisous

Márcio Jardim disse...

Oi Ana...
Imagina, eu que adorei reviver isso com vc... Vou dar uma olhada na revista sim, com certeza...
bjs